Por Patrícia Bispo

Por mais que um profissional estratégico seja comprometido com o negócio, diante do aumento das suas responsabilidades chegará um momento em que a liderança precisará delegar atividades para seus liderados. Afinal, o líder é humano e não poderá estar presente 24 horas no ambiente de trabalho. E mesmo que ele resolvesse morar na organização, o que se torna inimaginável, não conseguiria ligar o botão automático para manter dar plantão para solucionar todos os fatos se colocassem à sua frente. Confira abaixo dez benefícios de o líder delegar atribuições à equipe.

1 – Como em toda empresa, há questões que são mais relevantes e precisam ser tratadas como prioridades. A liderança delega atribuições com os membros da sua equipe, tem condições de se concentrar melhor nos fatos que precisam de uma atenção redobrada.

2 – A partir do momento em que a liderança consegue dedicar-se mais às questões consideradas de grande relevância, as chances de apresentar soluções para essas aumentam. Isso porque ele não ficou preso a pormenores que muitas vezes tornam-se uma rotina e podem ser geridos por alguém da sua equipe.

3 – Delegar poder aos liderados também se traduz em uma melhor gestão do tempo para o líder. A agenda que antes parecia interminável, aos poucos ganhará um novo formato e isso, certamente, impactará positivamente tanto na performance do líder quanto na da equipe.

4 – Uma pessoa que tem o tempo bem administrado sente melhorias na qualidade de vida dentro e fora do ambiente de trabalho. Lembremos aqui que muitos gestores adoecem quando ficam expostos a um elevado grau de estresse. E quando isso ocorre, muitos simplesmente desabam e precisam se afastar do trabalho para cuidar da saúde.

5 – Outro lembrete importante, ao reduzir o seu grau de estresse a liderança também estará diminuindo os fatores estressantes para sua equipe. Não devemos esquecer de que muitos talentos pedem demissão dos gestores e não das empresas. Isso porque que está à frente dos times perde o controle das suas atividades e, em muitos casos, passa a explodir emocionalmente junto aos membros do seu time.

6 – Quando delega poderes o gestor tem a oportunidade de estabelecer um cronograma para o seu próprio desenvolvimento. Se antes ele não conseguia manter-se atualizado com as inovações do mercado e especificamente da sua área, agora ele encontrará oportunidade para aprimorar competências fundamentais às suas atribuições.

7 – E ao conseguir desenvolver novas competências, sejam técnicas ou comportamentais, graças à delegação de atribuições que deu aos liderados, a liderança consegue outro benefício: pode dedicar-se a novos projetos que estavam arquivados, porque antes precisava dar conta de tudo e não lhe sobrava tempo nem para pensar em como implantar melhorias para sua própria gestão.

8 – Uma vez que confia em sua equipe e entrega responsabilidades aos liderados, o gestor tem a chance de identificar possíveis talentos que estavam adormecidos em seu time. Nada mais estimulando do que entregar um desafio para um profissional que apenas espera a oportunidade de mostrar o seu potencial.

9 – Líder que delega poder também preparar futuros líderes para a organização. Vale aqui registrar que essa afirmação não significa dizer que o gestor está preparando um concorrente que irá pleitear seu cargo, pelo contrário. Suponhamos que um gerente tenha em suas metas assumir uma diretoria, mas antes disso ele precisará apresentar à organização duas ou três indicações para substitui-lo, sem causar prejuízos à organização.

10 – Quem delega poder aos liderados mostra confiança nos talentos que estão ao seu redor. Quando isso ocorre, a relação entre líder e equipe estreita-se e os membros da equipe sentem-se valorizados. Consequentemente, serão motivados a darem o melhor de si e a superarem os desafios que surgem no dia a dia.

<< VOLTAR PARA A PÁGINA ANTERIOR

Artigos ou Dicas Relacionadas