Por Ariane Abdallah

COCHILAR, MEDITAR E DAR UMA PAUSA ENTRE AS ATIVIDADES FAZ BEM PARA O CÉREBRO, MOSTRAM DIVERSAS PESQUISAS RECENTES.

É sábado à noite e, em vez de descansar, você está com o laptop no colo, respondendo e-mails ou analisando um documento de trabalho. Por um lado, irrita-se ao se dar conta da própria situação. Sabe que aquela é uma hora para ficar com a família, assistir a TV ou simplesmente não fazer nada. Por outro lado, não consegue parar de pensar na quantidade de e-mails que aparecerá em sua caixa de entrada assim que a próxima semana começar e na imensa quantidade de tarefas que têm para fazer. Então, é melhor adiantar o que é possível.

Você já deve ter notado, no entanto, que esse raciocínio é uma pegadinha. Primeiro porque nunca, de fato, o trabalho diminui e você se sente aliviado. As tarefas parecem brotar de todos os lados, sempre com uma etiqueta de “urgente” e tudo o que você “adiantou” não adiantou nada. Em segundo lugar porque seu cérebro precisa de descanso. Simples assim.

Diversas pesquisas recentes confirmam que trabalhar quando devia descansar não é uma boa escolha. De acordo com estudos compilados em um artigo da Scientific American e comentados em uma reportagem da revista Inc., as horas dedicadas a uma tarefa não são proporcionais ao nível de produtividade. Muitas vezes, podem até atrapalhar seu trabalho.

A seguir, algumas dicas para ajudá-lo a sair do ciclo vicioso do “não posso parar” e, estranhamente, a sentir-se mais aliviado e produtivo.

1. Pare de trabalhar para se divertir
Tirar o foco do trabalho e jogar videogame por alguns minutos – acredite – pode aumentar sua produtividade. O perigo, nesse caso, é se deixar levar pela diversão e passar mais tempo no intervalo do que trabalhando. Uma técnica chamada Pomodoro Technique sugere a medida de 25 minutos de trabalho para cada cinco de diversão.

Não necessariamente o intervalo precisa ser dedicado ao videogame. Escolha qualquer outra atividade que o ajude a relaxar. Levantar da mesa, dar uma volta, tomar um café, falar com um colega já podem ser eficientes.

Além do benefício de descontrair o cérebro, provavelmente você terá um novo olhar quando voltar ao trabalho. Muitas vezes, travamos em um ponto da tarefa, sem encontrar a solução de um conflito – seja uma palavra adequada para explicar algo, seja uma estratégia de negócio. De repente, depois de alguns minutos longe do tema, as ideias ficam mais claras e a resposta surge sem esforço.

2. Tire mais férias ao longo do ano

Se afastar do trabalho por alguns dias é fundamental. Mas fazer isso uma vez por ano é pouco. Estudos mostram que os benefícios dessa prática para o cérebro se dissipam rapidamente quando volta à rotina. Então, o ideal seria descansar por dez dias ou uma semana algumas vezes por ano.

3. Tire pelo menos um dia de folga na semana

Não trabalhar um dia por semana tende a clarear a visão do trabalho e aumenta o discernimento na hora de organizar as atividades. Ao contrário do que se pode imaginar, as pessoas que participaram um estudo sobre o tema sentiram-se mais produtivas e orgulhosas do trabalho realizado do que quando não se permitiam a folga.

4. Que tal um cochilo – ou uma prática de meditação – no meio do dia?

Nem sempre temos condições de tirar um cochilo no meio do dia. Mas, segundo pesquisas recentes, essa prática seria boa para o cérebro. Há evidências biológicas de que as pessoas que têm esse hábito ficam mais alertas e produtivas, além de cometer menos erros do que aquelas que não dão uma dormidinha.

Se um cochilo não for possível, pelo menos pratique alguma técnica de meditação, de cinco, dez ou 20 minutos durante a tarde. Isso ajudará a baixar a frequência do seu cérebro e tende a fazê-lo se sentir mais feliz e descansado ao longo do dia.

<< VOLTAR PARA A PÁGINA ANTERIOR

Artigos ou Dicas Relacionadas