Cuide de seu perfil virtual para garantir uma boa imagem e uma carreira de sucesso no mundo real

Se você ainda não fez essa pesquisa, experimente digitar seu nome em um buscador como o Google. É bem provável dar de cara com dados de homônimos, claro, mas aqui e ali podem surgir conteúdos sobre você. E não há algo errado nisso, principalmente se você costuma falar em nome da empresa e aparece na mídia. Headhunters e profissionais de RH consideram isso positivo. Muitos desses recrutadores procuram saber mais sobre os candidatos checando o que há online sobre eles. Portanto, não só por curiosidade, mas também para fazer uma boa gestão de carreira hoje em dia é necessário ficar de olho na sua identidade virtual.

O uso da internet para apurar informações profissionais está tão em alta que consultores utilizam com frequência redes de relacionamento online como o LinkedIn, acessada por mais de 10 milhões de executivos em todo o mundo. “Assim, localizo pessoas que estão fora do meu círculo imediato de contatos”, diz Gerson Correia, sócio-diretor da Talent Solution, empresa paulistana de recrutamento e seleção. Gerson está habituado ao uso da internet não só para checar a coerência entre o que os candidatos fazem e o que eles dizem fazer quando os entrevista, mas também para encontrar profissionais que tenham o perfil das vagas que chegam à Talent Solution.

O ideal é que na web esteja exposto o que você tem de melhor. “O mercado precisa saber sobre suas conquistas e os conhecimentos e experiências que você acumulou. E, nesse sentido, a internet é excepcional”, diz o carioca Marcos Sêmola, de 34 anos, diretor de operações de risco da Atos Origin no Reino Unido. Marcos, que mantém um site pessoal há dez anos e é usuário do LinkedIn e do Orkut, tem boas histórias sobre como a rede o ajuda a impulsionar a vida profissional (leia mais no quadro Ele Caiu na Rede). O executivo é cuidadoso com sua imagem na internet e adota algumas medidas simples para garantir que as pessoas tenham sempre a melhor impressão sobre ele. Você pode fazer o mesmo. Veja só:

  • Não faça na web o que você não faria perante amigos, familiares, clientes, funcionários ou empregador.
  • Atue nas suas redes de relacionamento constantemente. Com isso, você cria uma relação de interação com as pessoas. Elas vão saber, por exemplo, que podem esperar uma resposta sua. “Não responder a um e-mail é o mesmo que receber uma ligação, deixar o telefone fora do gancho e sair, sem retomar a conversa”, diz Marcos.
  • Crie material interessante sobre os assuntos que você domina. Escreva artigos, publique na Wikipédia, mantenha um blog.
  • Mantenha seus dados sempre atualizados.
  • Seja objetivo na construção de seu perfil profissional.
  • Faça buscas constantes para gerenciar seu nome e imagem na rede. Para tanto, busque todas as variações de seu nome (incluindo possíveis erros de grafia) e em diversos sistemas de busca. Automatize essas buscas, usando ferramentas como Technorati Watchlists (www.technorati.com/watchlist) e Google Alerts (www.google.com/alerts).

Se encontrar algo desagradável a seu respeito, sossegue. Geralmente, a própria geração de material novo e de qualidade acaba por enterrar o assunto nos sites de pesquisa. Se for algo mais sério e que possa ser relacionado a crime de difamação, a regra número um é não fazer justiça com as próprias mãos. Ou seja: não tente mandar o recado de volta pela rede (escrevendo justificativas em seu blog ou no site pessoal, por exemplo). Preserve todas as provas — o que na internet significa fazer cópias (eletrônicas ou impressas) antes que elas sejam removidas — e registre a ocorrência em uma delegacia. Se em sua cidade houver uma especializada em crimes cibernéticos, melhor ainda.

Ele caiu na rede

Marcos Sêmola, 34 anos, carioca, diretor de operações de risco da Atos Origin no Reino Unido: exposição na internet garante oportunidades na carreira.

Formado em ciências da computação, o executivo carioca Marcos Sêmola é um expert nessa história de usar a rede para construir a marca pessoal. Uma vez, um senhor o parou na rua em Londres, cidade onde mora desde 2005. “Ele me reconheceu por causa de uma foto publicada na internet”, diz. O tal homem era presidente de uma entidade de segurança da informação e auditoria de sistemas reconhecida mundialmente. Ele convidou Marcos para publicar um artigo e fazer uma palestra em um evento global. A presença na internet também foi útil para ele na vida pessoal. Apaixonado por fotografia, Marcos mantém uma galeria virtual para interagir com outros fotógrafos que lhe rendeu um contrato de licenciamento com o Getty Images, o maior banco de imagens comerciais do mundo. Isso significa que seu hobby, agora, é dinheiro em caixa.

<< VOLTAR PARA A PÁGINA ANTERIOR

Artigos ou Dicas Relacionadas